Palavra 

Polícia Militar de Minas Gerais

Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas - ROTAM

Histórico


  

                 

HISTÓRIA DO BATALHÃO DE RONDAS TÁTICAS METROPOLITANAS - ROTAM  

      

 

                                                   

 

          A abertura democrática desencadeada em 1979, pôes fim à vigência do Ato Institucional nº 5, que determinara o fechamento dos Sindicatos, a proibição das greves e a censura à imprensa. Inicia-se o processo de anistia política.

          O contexto no país era bastante recessivo.

          Eclode então, uma onda de greves, que atingiu praticamente todos os setores e Estados Federados.

          Em minas Gerais não foi diferente.

          No mês de março, greve dos metalúrgicos de Barão de Cocais (9 dias, 1.500 grevistas); mês de maio, professores do 1º Grau da rede oficial de ensino (38 dias, 100.000 grevistas); operários da USIMINAS, em julho (8 dias, 21.800 grevistas); ainda no mês de julho, operários da construção civil, em Belo Horizonte (5 dias, 80.000 grevistas).

          Face a violência e radicalismo do último movimento, apresentado no dia 30 de julho, onde a cidade de Belo Horizonte se transformou em um verdadeiro caos, com quebradeiras, saques de lojas, incêndios nas bancas de revistas e carros, materiais de construção e tapumes jogados à rua, culminando com a morte do soldado Sebastião Bulhões Filho, de 23 anos, pertencente ao Corpo de Bombeiros, fez com que o Comando da Polícia Militar, começasse a pensar em uma força de manobra, como uma unidade especializada de choque no valor de Batalhão.

          O Batalhão de Polícia de Choque foi criado no dia 21 de dezembro de 1979 e sua instalação ocorreu a partir de 1º de janeiro de 1980, por força do Decreto Estadual 20.337, de 21 de dezembro de 1979, publicado no Minas Gerais 234, de 22 do mesmo mês.

          A tropa que compôs o efetivo do Batalhão, foi recrutada das diversas Unidades da Capital, obedecendo a critérios especiais, definidos pelo Comandante, além do efetivo da Companhia de Choque do 1º e 7º Batalhão de Polícia Militar.

          Inicialmente o Batalhão de Polícia de Choque, teve como missão principal, ações e operações de Controle de Distúrbios Civis; Contra Guerrilha Urbana; Contra Guerrilha Rural; Ocupação, defesa e/ou retomada de pontos sensíveis. A Unidade ainda dispunha de frações especializadas no resgate de reféns, no caso de sequestros com fins políticos ou decorrentes de crime comum; repressões a rebeliões ou a motins e retomada de locais de homizio de grupos criminosos.

          Diante da necessidade do combate a "macrocriminalidade da pesada", através de um sistema de recobrimento às vulnerabilidades do policiamento ostensivo, e sobretudo, em suplementação às unidades de área, particularmente na Região Metropolitana de Belo Horizonte, com atuação em localis de elevada índice de ciminalidade, repressão a assaltos a estabelecimentos bancários, escolta de presos perigosos ou de valores de monta incomum, foi criada uma fração especialmente treinada, que recebeu o nome de RONDAS TÁTICAS METROPOLITANAS - ROTAM.

          A 4 de fevereiro  de 1981, é lançado pela primeira vez, às ruas de Belo Horizonte, uma nova modalidade de policiamento, sendo apresnetada à socidade mineira, o Radiopatrulhamento ROTAM, que rapidamente, com suas ações reconhecidas, tornou-se o carro chefe do Batalhão de Polícia de Choque.

          Com a modificação do contexto social e econônmico de nosso país, surge a necessidade de adequação aos novos tempos. Começa-se a pensar na potencialização dos esforços da Unidades Especializadas da Polícia Militar Minas Gerais.

          Com a chegada do novo século, chega também na virada do milênio, uma nova articulação do efetivo.

          No dia 31 de dezembro de 1999, trona-se extinto o Batalhão de Polícia de Choque, que sede suas frações, dando lugar a outros novos Batalhões.

          Com esse advento, o Batalhão de Missões Especiais, passou a englobar as RONDAS TÁTICAS METROPOLITANAS (ROTAM), ao seu efetivo, juntamente com o Grupamento de Ações Táticas Especiais(GATE). As Companhias de Choque do extinto Batalhão, tornaram-se o Batalhão de Polícia de Eventos(BPE).

          De cara nova, o então, Batalhã