Palavra 

Polícia Militar de Minas Gerais

separe os e-mails por vírgula

Coronel lança, em Governador Valadares, livro sobre um Mito-Heroi

14/09/2009

 

O escritor  e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva Klinger Sobreira de Almeida continua sendo festejado em Governador Valadares, cidade onde, no último dia 10, lançou o seu livro Um certo Delegado de Capturas – O Romance de um Mito-Heroi. A obra narra a biografia do homem que se transformou em uma lenda da Polícia Militar de Minas Gerais.

 

A noite de autógrafos foi iniciada às 19h na sede da Osaka Automóveis, concessionária Toyota, com sede na  Avenida JK, 1.700, Bairro Vila Bretas. Na parte da manhã, às 9h30, o Oficial concedeu uma entrevista coleta na sede da 8ª Região de Polícia Militar, também em Governador Valadares.

 

O LIVRO
A obra, com 800 páginas, contém a saga do maior policial de todos os tempos em terras mineiras – Coronel Pedro Ferreira dos Santos, o Legendário Capitão Pedro  –, cujo nome, acompanhado de suas façanhas, fez eco em todo o País. O autor, que teve o privilégio, na década de 1960, de participar da equipe Supervisora de Capturas liderada pelo biografado, expressa na sua Introdução:

 

“Descerrando a cortina do tema, um alerta ou uma advertência se impõe. Quando um homem se torna mito consagrado no imaginário popular, não se lhe escreve a biografia. Narra-se a lenda. Aliás, como tenho recorrido a filmes clássicos do faroeste americano para compor este capítulo, vou a mais um – O Homem que Matou o Facínora – que termina com a frase: “Quando a lenda é maior que o homem, fica-se com a lenda.”

 

A vida do Cel Pedro Ferreira dos Santos – o inigualável mestre do como fazer polícia – é uma simbiose de realidade e lenda. Os feitos do homem-policial, muitas vezes inacreditáveis, tomaram contornos de lenda, e aí, no imaginário popular, erigiu-se a lenda. Com a lenda, veio o mito-herói.

 

"Por conseguinte, você, caro leitor, lendo este livro, estará, algumas vezes, folheando lances de uma biografia, mas também, e com muito mais intensidade, percorrerá as trilhas da lenda. Então, talvez divagando sobre os mistérios da existência, sentirá que a vida de um homem é mais palpitante e vibrante que um romance. Na verdade, a realidade toma formas de ficção. É o romance que emerge, sobrepondo-se aos fatos que a história esconde na poeira do tempo", observa o autor.

 

IPATINGA
Paralelamente, na tarde do dia 11, o Coronel QOR Klinger assinou autógrafos em Ipatinga, no auditório do 14° Batalhão de Polícia Militar. Um certo Delegado de Capturas – O Romance de um Mito-Herói chamou a atenção de representantes da comunidade local e de policiais militares, por seu caráter fiel aos feitos em terras mineiras do Coronel Pedro Ferreira dos Santos.

 

Conforme o autor, o Cel Pedro Ferreira era um profissional que trabalhava de corpo e alma para elucidação do crime com o comprometimento de seus interesses pessoais, inclusive da convivência com a amada família. Também em Ipatinga, o Cel Klinger concedeu entrevista coletiva, na sede do 14º BPM.  O autor é membro fundador da Academia de Letras João Guimarães Rosa, da Polícia Militar de Minas Gerais, e já escreveu vários ensaios e artigos profissionais.

 

O AUTOR
Nascido em 6 de outubro de 1940, na cidade de Alvinópolis (MG), filho de um policial itinerante e uma descendente indígena, Klinger ingressou na PMMG em 3 de março de 1958, graduando-se no Curso de Formação de Oficiais – CFO, em 7 de outubro de 1961. Fez todos os cursos da Corporação e formou-se em Direito. A partir dos 21 anos, jovem tenente da Força Pública, percorreu as regiões agrestes do interior mineiro, ora como comandante de tropa, ora como delegado especial de polícia, ora como delegado de capturas.

 

Como oficial superior, instalou e comandou unidades de polícia no interior e na Capital. Foi instrutor dos cursos de Aperfeiçoamento de Oficiais e Superior de Polícia. E, promovido a Coronel, em março de 1981, comandou o policiamento da RMBH – Região Metropolitana de Belo Horizonte e a Academia de Polícia Militar - APM, encerrando seu ciclo em março de 1987, como Chefe do Estado-Maior.

 

Em abril de 1987, assumiu a Diretoria de Planejamento Corporativo da empresa holding do grupo Águia Branca, sediada no Espírito Santo. De agosto de 1993 a dezembro de 1997, ocupou o cargo de Diretor Administrativo-Financeiro da empresa.
Atualmente, exerce atividade empresarial como Diretor-Superintendente da Companhia Viação Sul Bahiano – Sulba. De 1993 a 1997, foi membro do Contran – Conselho Nacional de Trânsito. Desde 1999 é conselheiro titular do Cetran – Conselho Estadual de Trânsito, do Estado da Bahia.

(*) Site do autor: http://klingeralmeida.sites.uol.com.br

(Alexandre França)

Autor: